Não Perderam Nada

São muitas as pessoas que fazem sacrifícios, às vezes sacrifícios grandes, para guardar seus convênios com Deus. Além de deixar hábitos maus, consagrar a décima parte de seus ingressos, e outros sacrifícios que fazemos todos na Igreja, são muitos os irmãos que têm conflitos familiares bastante grandes quando são batizados.

 

Lembro-me do élder Jones (sobrenome fictício usado para falar de uma pessoa de verdade), que entrou no CTM o mesmo dia que eu. Estivemos no mesmo distrito. Fazia só um ano que o élder Jones estava batizado e sua família se opunha fortemente a sua decisão de servir a missão. Os que gozávamos de muito apoio éramos vários e recebíamos chocolates e cartas por correio toda semana. Só alguns amigos escreviam para élder Jones, e com pouca frequência.

Sua família não somente estava em oposição a sua missão por motivos religiosos. Élder Jones tinha um talento atlético. Durante muito de sua infância, e toda sua juventude, jogou futebol. Sua família fez sacrifícios para pagar por esta participação em clubes caros e para levá-lo aos jogos, que frequentemente ficavam longe de sua casa. A pesar dos sacrifícios, eles achavam que valia a pena, já que uma universidade ofereceu-lhe uma bolsa para jogar para o time lá.

 

Tudo isso deixou para servir uma missão. Para eles, foi uma traição muito forte.

 

O começo de seu tempo no campo missionário foi muito difícil. Seu companheiro não sabia inglês e ele mal conseguia falar a língua local. Além disso, sua família seguia como se ele nunca existisse. Trocou uma vida de sucesso esportivo, uma educação universitária segura, e harmonia familiar, por viver em um país estrangeiro, onde não conhecia ninguém, não entendia a cultura, e onde seu futuro estava muito inseguro—mesmo depois da missão.

 

Meu amigo não foi o primeiro, nem será o último em fazer sacrifícios grandes por Deus. Devemos lembrar que Leí e sua família perderam toda sua grande fortuna depois que ele seguiu os mandamentos do Senhor, predicando o arrependimento e profetizando o fim do Reino de Judá por iniquidade.

 

Muitos séculos antes, os Filhos de Israel ganharam sua liberdade, mas também perderam seguridade econômica. Naquele tempo, o Egito era um centro comercial e agrícola bastante importante. Eles estavam acostumados a comer bem. Quando foram ao deserto com Moisés, começaram a sofrer fome, e alguns até queriam voltar para o Egito e a escravidão, em vez de enfrentar as responsabilidades que vêm com a liberdade.

Uma das melhores coisas das Escrituras é que podemos ler o resultado de histórias como estas. Uma vez que conquistaram a Terra Prometida, os Filhos de Israel se apoderaram das casas, dos campos, das poças, de todas as outras coisas que ficaram depois da conquista. Não começaram sua civilização sem nada. Depois de suas muitas viagens nos deserto, ganharam muito mais do que tinham perdido.

 

Depois de chegarem na Terra Prometida deles, a família de Leí encontrou ouro, prata e outras riquezas, com facilidade. Seus filhos foram grandes líderes. Tantos eram os recursos, e tão grande sua autoridade, que Néfi construiu um templo.

 

Mesmo que os babilônios nunca viessem a Jerusalém, os filhos de Leí nunca teriam atingido esse nível de riqueza, nem posições de autoridade tão altas. Ao final, eles não perderam absolutamente nada.

 

O élder Jones também não.

 

Terminou sua missão com honra e como líder. Casou no templo e agora têm quatro filhos com sua espoa. Tem um emprego bom e relacionamentos abertos e felizes com os familiares que não deram apoio durante a missão.

 

Não perdeu absolutamente nada, de fato, se perguntasse a ele, diria que sua vida está muito melhor agora do que seria se nunca fosse missionário.

 

Não acredito que estes sejam casos isolados. É meu testemunho que Deus é fiel, e que as palavras do rei Benjamim são certas, Ele requer que façais conforme vos ordenou; e se o fizerdes, ele imediatamente vos abençoará.

 

É possível que você pergunte E por que eu não?

 

Está bem que o Pai Celeste bendiga outras pessoas, mas parece que faltam bênçãos em minha vida. Por que eles recebem e eu não, se sou uma pessoa boa e já fiz muitos sacrifícios para guardar meus convênios?

 

Trataremos estas preguntas em meu artigo seguinte.

Ryan Boothe

Ryan Boothe

Ryan Boothe escribe artículos para Radio Kolob sobre una variedad de temas relacionados con el Evangelio Restaurado, desde las raíces de ciertas palabras del hebreo antiguo hasta las relaciones humanas que existen entre los santos de los últimos días.

El Hno. Boothe se ha mantenido bastante ocupado trabajando como consultor, conferencista y emprendedor--trabajo que lo ha llevado a varios lados de su país, Europa y América Latina.

Nacido bajo el convenio y criado en el Valle Central de California, el Hno. Boothe tuvo la gran bendición de hacer la misión en el sur de Chile, donde aprendió a hablar el castellano huaso. El Hno. Boothe actualmente vive con su familia en el Valle de Utah.
Ryan Boothe

Comentarios

comentarios

Powered by Facebook Comments

Ryan Boothe

Ryan Boothe escribe artículos para Radio Kolob sobre una variedad de temas relacionados con el Evangelio Restaurado, desde las raíces de ciertas palabras del hebreo antiguo hasta las relaciones humanas que existen entre los santos de los últimos días. El Hno. Boothe se ha mantenido bastante ocupado trabajando como consultor, conferencista y emprendedor--trabajo que lo ha llevado a varios lados de su país, Europa y América Latina. Nacido bajo el convenio y criado en el Valle Central de California, el Hno. Boothe tuvo la gran bendición de hacer la misión en el sur de Chile, donde aprendió a hablar el castellano huaso. El Hno. Boothe actualmente vive con su familia en el Valle de Utah.

error: Content is protected !!
A %d blogueros les gusta esto: