As Praias da Vida: por que os tempos bons não duram para sempre?

Diria que fui assignado a um lugar difícil na missão, mas qual dos anteriores tinha sido fácil?

Estava em uma aldeia pequena e muito isolada. Batei tantas portas que desenvolvi um método para não bater de novo dentro do mesmo mês. Tivemos um pouco de sucesso, mas não até depois de muito esforço e várias experiências duras. Batizamos alguns membros de uma família grande e ensinávamos aos outros.

Foi então que me mandaram a outro lugar.

Nosso apartamento era grande—antes era para quatro missionários. Também tinha o melhor aquecimento que vi em toda a missão, coisa importante porque estávamos em um inverno feroz, até 10 graus baixo zero.

Eu e meu companheiro nos fizemos amigos imediatamente. Nossa ala assignada estava bem mais forte do que as outras que tinha tido durante a missão e contávamos com muito apoio dos membros.

Além disso, não tive de começar desde zero—como quase sempre. Meu companheiro já ensinava a algumas pessoas excelentes e elas foram batizadas. Era como se estivesse de feiras!

Então, eles me mudaram de lugar novamente e esta vez, ao lugar mais difícil de toda minha missão.

Depois de viajar no deserto por oito anos, o grupo de Lehi chegou a uma praia tão boa que deram o nome de Abundância. Se fosse decisão exclusiva de Lamã e Lemuel, talvez tivessem todos ficado lá para sempre. Os jareditas também chegaram a uma praia bastante boa, tanto que ficaram quatro anos lá.

Mas aquelas praias não eram a Terra Prometida. Eram lugares de descanso e recuperação que precediam a última parte da viagem que restava antes de chegarem na Terra Prometida. Aquele penúltimo setor da missão era uma praia, mas não era a Terra Prometida.

Durante o transcurso de minha vida, já cheguei a muitas praias: épocas quando todo estava bem, mas, então, algumas coisas se mudaram e, de repente, me encontrava em alto-mar, à mercê dos ventos e evitando me cair no abismo.

Um irmão de meu quórum de élderes fez uma observação semelhante. Faz alguns anos, comentou a sua esposa, Acho que vamos passar por uma prova bem grande. Tudo vai bem. Tudo vai bem no trabalho, com nosso matrimônio, com nossos testemunhos, com tudo.

Um tempo depois, eles perderam seu primeiro filho.

As vezes perguntamos por que? ¿Por que é que tudo não sempre pode estar bem? Por que não posso ficar na praia?

O élder Neil A. Maxwell nos deu a razão com palavras muito sábias:

Nossas vidas não podem ser cheias de fé e livres de tensões…Portanto, como podemos nós realmente esperar navegar ingenuamente pela vida, como que dizendo: “Senhor, dá-me experiência, mas não tristeza, nem pesar, nem dor, nem oposição, nem traição, e, certamente, não me deixes desamparado.

Guarda-me, Senhor, de todas essas experiências que fizeram de ti o que tu és! Depois, permite-me ir viver contigo e partilhar plenamente de tua alegria!”Precisamos de fé verdadeira, entretanto, para suportar esse necessário mas penoso processo de desenvolvimento.[i]

 Tudo vai bem com seu chamado na Igreja? Se dá bem com os membros de sua família? Tem boa saúde. Sua situação económica está estável? Então, você está na praia.

Mas não fique ali por mais tempo do que deve. A praia é uma benção especial, a qual devemos desfrutar, mas o Pai Celestial não desenhou a vida para que fosse uma praia eterna.

O Senhor reprendeu o irmão de Jarede por três horas depois de que eles ficaram na praia por quatro anos—em vez de avançar à Terra Prometida. Lamã e Lemeul receberam uma sacudida divina por intentar ficar na praia. Nós também não deveríamos evitar a viagem por mar que nos espera.

Os êxitos maiores da vida de Néfi foram realizados na Terra Prometida. É assim também conosco. Atingimos nosso potencial máximo só depois de atravessarmos o oceano de tribulações que nos separa da Terra Prometida.

Não resistamos o Padre Celeste quando nos tira da praia. Embarquemos no mar com confiança. Enfrentemos as ondas e as tempestades com fé. O que nos espera no outro lado é melhor do que qualquer praia que podemos encontrar.

[i]“Para que vuestro ánimo no se canse hasta desmayar” Neal A. Maxwell

https://www.lds.org/general-conference/1991/04/lest-ye-be-wearied-and-faint-in-your-minds?lang=por

Ryan Boothe

Ryan Boothe

Ryan Boothe escribe artículos para Radio Kolob sobre una variedad de temas relacionados con el Evangelio Restaurado, desde las raíces de ciertas palabras del hebreo antiguo hasta las relaciones humanas que existen entre los santos de los últimos días.

El Hno. Boothe se ha mantenido bastante ocupado trabajando como consultor, conferencista y emprendedor--trabajo que lo ha llevado a varios lados de su país, Europa y América Latina.

Nacido bajo el convenio y criado en el Valle Central de California, el Hno. Boothe tuvo la gran bendición de hacer la misión en el sur de Chile, donde aprendió a hablar el castellano huaso. El Hno. Boothe actualmente vive con su familia en el Valle de Utah.
Ryan Boothe

Comentarios

comentarios

Powered by Facebook Comments

Ryan Boothe

Ryan Boothe escribe artículos para Radio Kolob sobre una variedad de temas relacionados con el Evangelio Restaurado, desde las raíces de ciertas palabras del hebreo antiguo hasta las relaciones humanas que existen entre los santos de los últimos días. El Hno. Boothe se ha mantenido bastante ocupado trabajando como consultor, conferencista y emprendedor--trabajo que lo ha llevado a varios lados de su país, Europa y América Latina. Nacido bajo el convenio y criado en el Valle Central de California, el Hno. Boothe tuvo la gran bendición de hacer la misión en el sur de Chile, donde aprendió a hablar el castellano huaso. El Hno. Boothe actualmente vive con su familia en el Valle de Utah.

error: Content is protected !!
A %d blogueros les gusta esto: